Culinaria · Sem categoria

Receita de Espagueti ao Vôngole

 

IMG_9989

Olá pessoal, tudo bom… Espero que esteja tudo ótimo com vocês…

Hoje vou escrever a receita do espagueti ao vôngole que é um sucesso aqui em casa, e espero que seja um sucesso também na sua casa.

Sabe aquelas conchinhas, que eu acredito, que todo mundo já deve ter pego quando foi viajar para a praia… Então, essas conchinhas ao contrário de virarem artesanato, aqui elas vão direto para as panelas, e compõem como principal ingrediente,  um dos pratos mais simples da culinária italiana, porém um dos meus preferidos.

O espagueti ao vôngole tem origem napolitana, e é um prato que diferente de vários outros aqui da Itália, nao é sazonal, ou seja, você pode prepará-lo em qualquer época do ano. E agora eu passo a receita para quem ainda nao conhece e queira testar.

VOCE VAI PRECISAR:

1 Kg de Vôngoles frescos (de preferência já limpos)

500 gr de Espagueti n5 (eu uso o Barilla)

Pimenta do reino moída na hora

Cheiro Verde (salsinha) picado

1/2 Taça de vinho branco seco

Sal a gosto

COMO PREPARAR:

Mesmo que você tenha comprado o vôngole já limpo, aconselho que você limpe-os novamente. Coloque-os numa tigela cheia de água fria com uma pitadinha de sal grosso. Os vôngoles deverão abrir pois sim, eles estarão vivos até ai haha, e nesse processo eles liberarão a areia que fica dentro da concha. Jogue a primeira água fora e repita essa ação mais uma vez. Não precisa deixar de molho, é só esperar uns 5 minutinhos enquanto eles estão submersos e depois passe-os numa peneira. Eu prefiro, ainda assim depois das duas lavadas, passar um por um na água corrente, para assegurar que não ficou nenhuma areiazinha. Nao é agradável depois morde-la.

Feito isso, reserve os vôngoles, que a nessa altura estarão fechadinhos de novo e coloque água numa panela funda para ferver, para depois cozinhar seu macarrão. E lembre-se de seguir a risca o tempo de cozimento indicado na caixa. Massa muito cozida, chamada de “extra cotta” aqui na Itália, é um crime tá haha. Esse período, entre ferver e cozinhar a massa, levará no máximo 20 minutos. É o tempo que você vai precisar para saltear os vôngoles.

Ok, agora pegue uma frigideira e coloque o equivalente a 3 colheres de sopa de azeite, frite os 3 dentinhos de alho (picadinhos). Antes deles dourarem, jogue os vôngoles, o sal, moa a pimenta e o 1/2 cálice de vinho. Deixe no fogo médio e se seu fogão for de indução, deixe no número 5. O álcool do vinho vai evaporar, e aí vai mexendo com uma colher de pau, vai salteando e aos poucos você verá que as conchinhas irão se abrir e no final, passados uns 10 minutos estarão no ponto, não deixe muito mais que isso para não emborrachar ok. Os vôngoles que não se abrirem, provavelmente entre 1 ou 3 (isso se você tiver comprado bem fresquinho mesmo), pode jogar fora, pois é deselegante servir o prato com a concha fechada.

Quando sua massa estiver ao dente, acrescente os seus vongoles salteados que a esta altura deverão estar aromatizando incrivelmente a sua cozinha, acerte o sal, salpique a salsinha, jogue um fiozinho de azeite e VOILÁ….

Sirva com um belo vinho branco…

Espero que vocês gostem e confesso, enquanto digito, estou com água na boca. Hummmmmmm

Abraços da Thati

@thatiredrado

 

Viagens

Dicas do que fazer em ZURIQUE (Zurich)

O motivo principal de nossa ida à Zurique foi o de ver o show de Krishna Das. Cantor de mantras maravilhosos, costumamos dizer eu e meu marido, que ele canta a trilha sonora de nossa vida ♥

Para quem não sabe Mantra é um hino hinduísta e budista, que é dito de forma repetida e tem como objetivo relaxar e induzir a um estado de meditação em quem canta ou escuta. Um mantra é definido como um instrumento de pensamento. E os mantras de Krishna Das são incrivelmente lindos, já que a voz dele é tão incrível quanto, portanto potencializa o poder da canção sabe… bom eu sou muito fã e falarei mais sobre esse assunto, num futuro post.

Back to Zurique

Decidimos passar o fim de semana e aproveitar a cidade, já que o show era no sabádo; e dessa vez fomos sem as crianças, que deixamos em Milão, na casa de amigos. Nesses momentos (em outros também claro) é difícil estar longe da família (ainda bem que temos amigos maravilhosos ♥). Antes, eu e o Edu conseguíamos fazer vários programinhas sozinhos, porém morando aqui, apesar dos meus filhos já serem grandinhos, é difícil sair e deixá-los, mesmo porque pensamos neles a viagem toda hahaha…

Back to Zurique 2…. ai desculpa gente, começo a emendar um papo no outro hahaha.

A cidade de Zurique encontra-se situada no coração e no centro da Suíça, à margem norte do Lago Zurique. A variação de atividades é enorme e isso atrai visitantes do mundo todo. E lá estávamos nós… e nossa vontade de explorar era enorme também…

Chegamos no hotel na sexta-feira por volta das 10h da noite. Fomos de trem saindo de Milão e a viagem durou aproximadamente 3h e meia. Super tranquilo. Sem contar o visual maravilhoso ♥♥♥

No sábado começamos nosso passeio bem cedinho. As 9h da manha saímos e meu marido descobriu um lugar muito mara para tomarmos nosso cafe-da-manhã: uma padaria chamada JOHN BAKER. Funciona como uma espécie de fábrica de pães também. É tudo feitinho alí, na frente do balcão e dos clientes. Encontramos uma variedade de pães e o melhor de tudo, feitos com produtos orgânicos, amigos da natureza, da estação; enfim, uma maravilha. Eu recomendo de olhos fechados, anotem essa dica. Foi uma super descoberta (créditos ao maridão)! JOHN BAKER (endereço- John Baker Stadelhofen —Stadelhoferstr 28 Zurich 1).

Da padaria partimos em direção a Rua Bahnhofstrasse, uma das principais e mais movimentadas. Cheia de lojas bacanas para quem quiser fazer uma comprinha ou apenas passear e fazer fotos. Ah e também essa rua é o ponto principal para chegar a Old Town.

A rua principal da Cidade Antiga é a NIEDERDORF, que fica paralela a LIMMATQUAI. Otimo ponto para tomar um cafezinho ou um suco. Aliás na cidade, que eco-frendly total, voce irá encontrar muitas opções de casas de sucos naturais, com frutas da estação e orgânicos. Vale a pena seguir sua intuição e escolher uma das várias lanchonetes que você irá encontrar caminho. Não deixe de caminhar por todas essas ruazinhas da cidade antiga: AUGUSTINERGRASSE, RENNWEG, GLOCKENGASSE, MARKTGASSE e WEINGASSE. Aproveite para observar toda a cidade, que tem uma arquitetura muito bonitinha, banhada pelo lago, cheia de bares e restaurantes.

Visite a PRAÇA LINDENHOF que tem uma vista linda da cidade, além de aproveitar e encher sua garrafinha de água! Essa é uma dica valiosíssima que te dou, visto que durante todo o trajeto na cidade você vai se deparar com fontes de água mineral e com temperatura super fresca. Essa também é uma dica de como economizar na cidade, visto que é uma cidade caríssima, assim como toda a Suíça, e numa garrafinha de água você irá pagar algo em média de 3 a 4 francos suíços (para ter uma idéia pago em Milão na mesma garrafinha 0,50 centavos de euro)! E se podemos aproveitar bebendo água da fonte, sendo super gostosa e limpíssima, apropriada para o consumo, por que não¿¡

Entramos na Igreja Grossmünster e subimos até uma das torres. A igreja é simples e muito elegante ao mesmo tempo, mas infelizmente não pode ser fotografada, ou pelo menos, no dia que estávamos não podia. Você tem que subir uns lances de escada para chegar no topo, mas super tranquilo, vi pessoas de diferentes idades fazendo o mesmo trajeto, é só subir devagarinho. Vale a pena, pois a vista lá de cima da cidade (360 graus) é muito incrível! (para subir pagamos uma taxinha de 2chf por pessoa 😉

Almoçamos em uma das 10 melhores hamburguerias, de acordo com o TripAdvisor, chamada THE BUTCHER (endereço: Stüssihofstatt 15, 8001 Zürich, Suíça). Tomamos um cafezinho (Cafe Momento) e fomos para o hotel descansar um pouco antes do show começar.

Bom, acordamos revitalizados e muito felizes depois do maravilhoso show que vimos no sabádo anterior de noite… e estávamos preparados para o passeio do domingo: conhecer o bairro Zurich West e depois caminhar pelo Lago Zurique.

Há aproximadamente 15 minutos da estação ferroviária você chegará no bairro Zurique West. Moderninho e descolado, cheio de restaurantes, bares, boutiques diferentes, lojas de design, galerias de arte e de espetáculos alternativos, já foi palco da “revolução industrial”  da cidade. Hoje em dia a arquitetura do bairro, apesar de ser moderna e cool,  ainda demonstra essa época, industrial. Vários galpões e até mesmo uma das principais lojas da FREITAG, marca dos irmãos Marcos e Daniel Freitag, especializada em bolsas feitas à mão com materiais reciclados, especialmente lona de caminhão encontradas em estradas, foi construída dentro de um container, na verdade de vários, e de lá de cima do último, onde o acesso é permitido,  você terá uma vista panorâmica da cidade (DICA). Eu fui ver depois as informações sobre a loja, e acabei perdendo a oportunidade, pois a loja fecha aos domingo 😦 Atentos nisso!

Andamos muito pelo bairro e é gritante a diversidade na arquitetura: galpões que dão espaço à lojas, bares e discotecas, ao lado de prédios novos e modernos; lojas de design debaixo de viaduto que serve como trilho de trens… Muito bacana!

HORA DO ALMOÇO:

Resolvemos almoçar num espaço tãããão legal na região chamado FRAU GEROLDS GARTEN http://www.fraugerold.ch (endereço: Geroldstrasse 23, 8005 Zürich, Suíça), que tem uma pegada ecológica de reciclar e transformar, acompanhando a proposta de revitalização já existente no bairro. Vale super a visita gente, e eu fiquei com vontade de voltar e poder visitar o espaço também de noite, quando todas as luzes que decoram o espaço devam estar acesas, deve ser lindo, além de trazer um charme todo especial ao local!!! Ah caso queiram saber, nossa escolha de almoço foi o famoso Wrürstel (linguiças) acompanhada de uma saladinha Top com pães feito no local e mostarda muito maravilhosa. Não deixe de experimentar, muito diferente das que vemos por aí!

IMG_8394
Meu almocinho!

Nosso trem de volta para Milão só partia as 18h, então resolvemos dar mais uma volta na cidade e fomos à “praia” dos suíços que moram em Zurich haha. E foi uma delícia. Que afortunados eles são por terem um lago tão limpo como o Lago Zurique. Impressionante a limpeza gente, famílias inteiras nadando e se divertindo dentro da água! Deu vontade de entrar, mas estávamos sem roupas apropriadas, pois havíamos deixado nossa mala no locker da estação ferroviária (muito seguro diga-se de passagem). Essa é uma mega dica para vocês! Para que você não tenha que carregar sua mala, pela cidade, o que cansa muito não é gente, você pode deixá-la na estação. É super tranquilo e custa 6chf.

E esse foi mais um passeio incrível que fizemos em busca de realizar todos os itens da nossa Wish List. Espero que tenham gostado e que seja muito útil para vocês e que possam incluir, novamente, nosso roteiro na cidade de Zurique, no seu programa.

Grande abraço, Thati!

@thatiredrado 

Sem categoria · Viagens

2 dias em Tirol na Áustria passando por Innsbruck e Valle Verzasca

 

DSC_8273.JPG

É isso mesmo que você está vendo!!! VERDE, VERDE E MAIS VERDE! Eu fiquei tão encantada pelos alpes austríacos que vou tentar expressar tudo aqui para você. Foi uma experiência inacreditável de tamanha beleza, de tamanha grandiosidade para mim. Um espetáculo da Natureza.

Os alpes são muito disputados na temporada de inverno, recebendo pessoas que vem de todo o mundo para aproveitar as centenas de pistas de ski nas diversas montanhas espalhadas pela região de Tirol… Nós fizemos diferente, viemos para explorar a região na Primavera, e encontramos um clima muito agradável, calorzinho durante o dia e de noite aquele tempo fresquinho muito bom para dormir. Veja nas fotos o visual que maravilhoso!!!

Bom, vamos lá… Escolhemos Alpbach como base, uma cidadezinha super pequena e charmosa, localizada num vale maravilhoso e que fica somente há 35 minutos de carro de Innsbruck. Dessa vez optamos por reservar no http://www.booking.com     um chalé super típico na região, tinha 2 quartos, sala e cozinha em estilo americano (todo aberto) já que nossos horários são meio malucos e prefiro ter opção de preparar eu mesma algo rápido e saudável para mim e para minha família, pois não é sempre que podemos e queremos fazer todas as refeições na rua (bom gente mas isso é a minha preferência Ne). E de verdade, como a gente tem planos de viajar muito e a família é grande, tentamos sempre economizar de alguma maneira, e essa ajuda muito (cada refeição na Europa, independente do país, incluindo bebidas, prato principal, sobremesa e café você irá gastar no mínimo 100 euros, isso para 3 ou 4 pessoas)!!! Outro site (app) que costumo usar muito mais que Booking é o AIRBNB! Já ouviram falar… eu gosto muito, e até hoje nunca errei na escolha 🙂 É uma opção super bacana para quem prefere ter uma experiência de estar em casa, independente da cidade ou país que esteja, além de ser mais econômico. Vale a pena conferir! É super de confiança… você irá preencher um questionário igual ou semelhante ao que os proprietários preenchem!!! Isso serve para que você tenha mais segurança na locação. Você tem a opção de escolher a casa inteira ou somente o quarto. Acho realmente muito bacana!!!!

DSC_7908
Foi num chalé parecido com esse que ficamos. Dentro deles, aproximadamente 5 casinhas, todas com 2 quartos, banheiro e uma sala com cozinha equipada no estilo americana!!!

Chegamos na quinta feira a noite (foi feriado em Milão na sexta, Festa da República) aproximadamente 22h. Fizemos um lanche rápido e cama, descansar da viagem e se preparar para os próximos dias.

1 dia INNSBRUCK

Acordamos bem cedo, fizemos o café da manhã no chalé e pegamos a estrada. Escolhemos conhecer Innsbruck que estava há 35, 40 minutos do nosso chalé. Uma cidade relativamente grande porém rodeada pelos Alpes. A coisa mais linda de se ver! Fica no oeste da Áustria, capital de Tirol. É uma cidade que respira esportes, a quantidade de lojas de esportes é enorme, meu marido que é fã de esportes de  montanha quase pirou por lá hahaha. Entre os alpes imponentes Nordkette (2334m) e Patscherkofel (2246m) ao Norte e Nosckspitze (2403m) ao Sul, a cidade tem atravessada um rio chamado Inn. O nome Innsbruck vem daí: Brücke (origem alemã) significa ponte, ou seja, Ponte do Rio Inn. Curiosidade!

O que fizemos em Innsbruck:

IGREJA DOS JESUÍTAS (Jesuitenkirche Innsbruck)

Uma das principais igrejas de Innsbruck foi construída entre 1623 e 1640. Em 2003 – 2004 foi remodelado o principal Santuário  que foi destruído na Segunda Guerra Mundial. A cripta também foi reconstruída, onde encontra-se os túmulos dos jesuítas falecidos em Innsbruck bem como dos fundadores desta Igreja, Leopoldo V e sua esposa Claudia de Medici, além de outras personalidades do principado. Curiosidade: a torre desta igreja possuí o 4 (quarto) maior sino de toda a Áustria, que infelizmente não foi tocado enquanto eu estava lá. O interior da igreja é belíssimo, afrescos barroco por todo teto. É tão linda que fiquei de queixo caído. Confira as fotos!!! Você não paga nada para entrar na Igreja, mas deve contribuir com 1 euro se quiser fotografá-la!

Na saída demos uma volta pelo centrinho e paramos para tomar uma café! Da uma olhada no decór ♥♥♥ Achei os preços meio desalinhados, meu marido pediu uma cerveja e eu um café, que foi praticamente o preço da cerveja… na dúvida gente, se forem seguir minha dica e visitar esse bar, peçam a cerveja, que geralmente são muito Top hahaha…

TELHADO DE OURO (Goldnes Dachl)

Dalí resolvemos ir para o palácio onde está localizado o Telhado de Ouro (era um dos pontos que estavam no meu roteiro). Mais conhecido como Goldenes Dachl, possui mais de 2500 telhas simplesmente de OURO. E era alí que o Imperador Maximiliano I gostava de passar boa parte do seu dia observando o movimento da cidade junto com sua esposa Bianca Maria Sforza, durante o período em que moraram alí, junto com toda a sua corte.

Continuando pelos arredores do palácio fomos passeando e observando todo o centro histórico da cidade, e vale muito a pena se perder pelas ruelas e ir descobrindo os seus encantos e curiosidades, por ex. todos os letreiros das lojas, restaurantes, etc… que são feitos de ferro. Foi por alí que encontramos uma das maiores lojas do mundo da Swarovski! E depois fomos até as proximidades do Rio Inn que é sempre verdinho (pelas fotos que eu havia pesquisado) mas no dia que estávamos lá estava meio turvo, por conta das chuvas. Mas ainda assim muito lindo!!! Da vontade de morar alí naqueles predinhos de frente hahaha ((vejam na foto ♥)

PALÁCIO HOFBURG (kaiserliche Hosfburg)

Há poucos metros dalí de onde estávamos, fomos visitar o Palácio Holfburgo, que estava no meu roteiro também. Esse palácio foi construído quando aquele outro, de telhado de ouro, não tinha mais espaço para a família imperial e corte. Esse palácio está totalmente relacionado a grande era do ouro do Império da família na cidade. Foi todo reformado a mando da Imperatriz Maria Teresa com toques de decoração que vão do barroco ao rococó e realmente impressiona gente!!!! Uma das salas internas, chamada de Sala dos Gigantes (com pinturas que retratam os membros da família), é a mais linda que vi em toda minha vida!!! Uma parte do palácio é aberta ao público, pois as restantes servem hoje em dia de sede à repartições públicas. O bilhete de entrada custou 9 euros e crianças até 18 anos não pagam. De uma olhada nas fotos que consegui fazer para vocês de alguns ambientes acessíveis.

ARCO DO TRIUNFO (Triumphpforte)

O Arco foi construído em 1765 por ordem da Imperatriz Maria Teresa para homenagear a morte de seu marido Francisco I e para comemorar o casamento de seu filho Leopoldo com Maria Luiza da Espanha. Linda história não…

E pra finalizar nosso passeio por Innsbruck fomos ver o Portal construído em homenagem àqueles que morreram em nome da libertação da Áustria.

Faltou subirmos a montanha Nordkette onde se encontra um mirante do qual se pode ver toda a cidade de Innsbruck. Infelizmente deixamos para fazer esse passeio no final da tarde, o qual haviam nos recomendado por ser um horário com melhor luz para uma perfeita foto. Mas eu acho que vale muito incluir esse passeio no seu roteiro! As imagens lá de cima (de acordo com as fotos que vi) são lindas! Mas enfim…. conseguimos aproveitar muito a maioria das principais atrações da cidade e valeu demais!!!

DSC_8097

Hora de voltar pro chalé e quero compartilhar com vocês que mesmo depois de fazermos todo esse tour pela cidade de Innsbruck e voltarmos já no comecinho da noite, decidimos subir um pouco mais a montanha e visitar a parte mais alta de Alpbach, chamada de InnerAlpbach, e foi um presente para fechar o dia com chave de ouro… passamos por uma capelinha linda que infelizmente estava fechada e depois conhecemos uma cervejaria artesanal, inclusive o dono, uma simpatia em pessoa , o qual produz uma cerveja muito boa… Eu e minha família sempre tentamos abrir mais ainda o leque e seguir nossa intuição para sempre conhecer algo novo e vivenciar as experiências ao máximo, coisas que geralmente não estavam no nosso roteiro, e no final, pra nós é sempre muito gratificante. Então, meu conselho é esse: Sigam as placas gente, literalmente!!! Se nós não tivéssemos seguido, não teríamos terminado o dia com uma cervejinha tão boa hahaha

2 dia – CACHOEIRA KRIMML (Krimmler Wasserfälle)

Rodamos aproximadamente 1 hora e 30 min de Alpbach até chegarmos na cachoeira Krimml. A altura dela é de 380m e é a maior cachoeira da Áustria. Está localizada no Alto Tauern National Park, em Salzburgerland, interior de Salzburg. A trilha para chegar até a cachoeira é super tranquila e adequada a qualquer idade. Porém quando você chega bem pertinho dela fica impressionado com tamanha força. Realmente incrível! Impresionamente o quanto renovada me sinto quando estou conectada à Natureza, e a palavra é essa mesmo, CONEXÃO… pois sempre dou um jeito de chegar bem próximo as oportunidades e aproveitar o máximo a experiência, e você¿

 Na volta ao chalé decidimos parar no Lago principal da cidade de Alpbach, que é a praia dos austríacos. Descansar, tomar um solzinho, fazer um pic-nic era nosso objetivo, no final desfrutamos mais ainda, meu marido e filha com um mergulho, eu e o Luiz (meu filho mais velho) com uma caminhada em torno do lago, ao som dos sinos indicando as vaquinhas que pastavam alí por perto. Super gostoso!

VALLE VERZASCA

Agora vou falar sobre nossa volta à Milão no domingo. Como previsto, tínhamos nos programado para sair as 9am. Resolvemos sair um pouco da rota de retorno para conhecer um Valle chamado Verzasca. Era um dos itens da nossa “wish list” de locais a serem visto nessa vida…

Saímos um pouco do nosso caminho e fomos para a região de Ticino, na Suiça atrás de riscar mais esse “item” da nossa lista. A cidade se chama Lavertezzo, que fica bem pertinho de Lugano há 40 minutos mais ou menos de Milão.

O visual já começou nas estradas, que diga-se de passagem, são excelentes , um tapete… super bem sinalizadas e sem contar as paisagens que são estonteantes.

Chegamos no Valle por volta das 14pm, o tempo estava meio nublado, mas deu pra ver super bem. Todo o vale é encantado: com cidadezinhas que mais parecem um conto de fadas. Ficou um gostinho de quero mais e de vontade de voltar para explorar essa região! Quem sabe um dia….♥♥♥

É isso pessoal , espero que tenham gostado do meu post. Temos tanto para conhecer nesse mundão não é mesmo, e o objetivo do Por aí com a Thati, além de conhecê-lo e aproveita-lo ao máximo, é agregar as minhas experiências ao seu roteiro. Não deixe de se inscrever, assim você receberá um comunicado por e-mail todas as vezes que tiver post novo 😉

Um grande abraço, Thati 

@thatiredrado

Viagens

3 dias em Provence – França

Olá gente, tudo bem… Espero que sim! Por aqui, muita ansiedade de compartilhar com vocês sobre esse lugar lindo que fomos e que eu amo com todo o meu coração!!!

Difícil fazer a região de Provence em apenas 3 dias, com tantos lugares maravilhosos para conhecer. Mas, ainda que você só tenha 3 dias, vale sempre muito a pena ir. Paisagens encantadoras, clima delicioso (fomos no verão e não é tão abafado, pois venta), vinhos maravilhosos (eu amo o rose), boa gente, atmosfera super agradável, boa comida, enfim… Demais ♥

Foi nossa segunda viagem à Provence. Fomos no verão do ano passado (2016), em agosto, porém, haviam apenas feito a colheita das lavandas, então não conseguimos aproveitar como queríamos todo aquele clima e visu que víamos nos sites e blogs de viagens.

Então eu fiz questão de voltar na época certa, e registrar nesse post um roteiro mais que especial e completinho para que você se programe bem antes de vir, para uma futura viagem, e não corra risco de perder nenhum detalhe de lugar, e principalmente, os tão visitados campos de lavanda, que diga-se de passagem, de acordo com o guia turístico da Loccitane, os mesmos veem sofrendo com uma praga que ainda não foi descoberta, correndo grande risco de não existirem mais. Portanto gente, na dúvida e dentro do possível de cada um de vocês, inclua essa viagem no seu roteiro, é simplesmente apaixonante.

1 DIA- sexta depois das 15h

AIX EN PROVENCE

Chegamos em Provence, na nossa base que foi em La Bastidonne, na sexta feira mais ou menos 13h. Começamos nossa road trip até chegar em AIX EN PROVENCE. Ainda não conhecíamos a cidade e fiquei bem impressionada, toda medievalzinha, cheia de ruelas com prédios que mais pareciam que estavam tombando sabe, de tão antigos haha. Porém a coisa mais linda e charmosa. A cor predominante na Provence é o Ocre, uma espécie de um bege mais claro. Um encanto!

Aix é deliciosa e basicamente nosso passeio por ela foi andar e andar e se perder pelas vias da cidade. Passeamos pelo certinho histórico, pela Cours Mirabou, que é considerada uma das avenidas mais lindas do mundo, com todas as suas fontes. E é óbvio, por ser uma rua tão famosa assim, ela é cheia de bares e restaurantes, mas são meio pega turistas sabe. De acordo com minha experiência em viver perto de um ponto turístico assim desse nível (moro bem próximo ao Duomo de Milão), os restaurantes são caros, a comida nem sempre é fresca e nem local sabe, rola uma generalizada de países. Eu sempre fujo desses restaurantes próximos aos pontos turísticos, e prefiro entrar pra dentro das ruelas. ;caso você já não tenha uma indicação de restaurante, clique http://www.tripadvisor.com e confira as opções. Eu uso muito!

Confesso que nós não somos muito preocupados em fazer todos os pontos turísticos. Claro, que se possível, a gente faz, mas nosso prazer maior é sentir a real vibe da cidade, e a melhor maneira pra isso, é caminhando.

Paramos para tomar um sorvete diferente, feito na hora, numa chapa congelante. As crianças adoraram.

IMG_8994

Aqui marco alguns programas que você pode incluir no seu roteiro, caso tenha mais tempo, nós não conseguimos, pois era feriado na cidade, a Queda da Bastilha. 14 de julho é dia de festa na França. A data comemora a Revolução Francesa, iniciada em 1789, quando os burgueses e as classes populares derrubaram o antigo regime monárquico. Foi nessa época que surgiu a Declaração dos Direitos Humano. Ia rolar alguns eventos na cidade mas não deu para esperar.

Os programinhas:

  • Montanha Saint Victorie
  • Mercado de flores
  • Memorial de Camps des Milles
  • Museu de Cezanne

2 DIA – sábado

CUCURÓN

DSC_8688.JPG

Começamos o segundo dia com ida a pequena e encantadora cidade de Cucurón. Que cidade mais linda!!! Pequena e charmosa, era sábado de manhã, bem cedinho, e quase não haviam pessoas pelas ruas, com exceção dos gatos (muitos) que existem na cidade, e os comércios estavam abrindo suas portas. Além de suas ruelas e casinhas centenárias,  a cidade também ficou famosa, por ter sido palco de umas das cenas do filme Um Bom Ano, com Russell Crowe e Marion Cottilard. 1h basta para conhecer Cucurón, e a pé mesmo. Mas te garanto, será 1h de puro charme ♥

ABADIA DE NOTREDAME DE SÉNANQUE (Abbaye Notre-Dame de Sénanque)

De Cucurón partimos para conhecer a Abadia de Notredame de Senanque, que já estava na nossa listinha de desejos.

A construção da igreja deu-se início no século XII. A arquitetura é bastante sóbria, mas nada impede que seja incrivelmente bela, rodeada por campos de lavandas. Visitamos o interior da abadia e descobrimos que tudo lá dentro tem uma função. Atualmente a igreja se constitui de um mosteiro que abriga uma comunidade de monges. De acordo com São Bernardo, um monge não é considerado monge se não trabalhasse com suas próprias mãos. Em Sénanque eles continuam ativos no cultivo da lavanda, na produção de derivados da planta, na produção de mel e também recepcionando turistas. A Abadia sobrevive basicamente disso. Foi um programa incrível, ao qual recomendo.

PONT DU GARD

De Cucurón fomos para a Pont du Gard. Com 49m de altura, é o maior aqueduto romano do mundo e fica próximo a cidade de Nîmes e Avignon. Foi construído durante os impérios de Claudio e Nero (anos 50 AC) e é o único em seu estilo, com 3 níveis, que ainda podem ser vistos atualmente. Ao longo de 5 séculos, o aqueduto transportou água para a cidade de Nîmes, porém depois da queda do império romano, o aqueduto deixou de ser utilizado, e aos poucos suas pedras foram usadas para outras construções. No século XIX surgiu a preocupação com as condições em que se encontrava o aqueduto, com grande risco de desabamento. Com isso foram tomadas várias decisões para preservá-lo e restaurá-lo. Em 1980 a Pont du Gard integrou a lista de patrimônio da Unesco e em 2000 os arredores do monumento ganharam estrutura para receber turistas.

Pagamos 29€ nas entradas (2 adultos e 2 crianças). O ticket dá direito a visita ao Aqueduto , entrada no Museu, no Cinema, um Espaço lúdico para crianças e Estacionamento; e você também pode aproveitar a região para fazer caminhadas, dar um mergulho no rio de agua cristalina, alugar caiaque e também tem restaurante e  cafeteria dentro do espaço, caso você queira almoçar ou fazer uma pausa para um café ou sorvete. Depois da visita, nós passamos o restante da tarde no local (afinal no verão o dia é bem mais longo, escurece só por volta das 9:30pm) e as crianças e o marido deram um belo mergulho no rio. Para mais informações ou compra antecipada do ticket , acesse o site: http://www.pontdugard.fr/fr

3 DIA – domingo

LOCCITANE

Fomos visitar a fábrica da Loccitane em Manosque e foi um passeio muito legal e que eu super indico. Eu que já era fã da marca fiquei ainda mais encantada ♥ A empresa tem uma preocupação incrível com o consumidor final (nós), utilizando produtos com matéria prima orgânica e NÃO testados em animais; além de serem também preocupados com os funcionários, estabelecendo uma rotina saudável à eles, sem contar o local de trabalho, super organizado, cheiroso, dá vontade de trabalhar lá hahaha.

Agendamos o tour em inglês e gratuito com uma semana de antecedência, o guia que nos atendeu era muito educado e ainda ganhamos um presentindo da Loccitane. Eeeeeeeeee! Amei! Aqui o link caso você queira mais infos:

 http://fr.loccitane.com/l%27occitane-vous-invite-a-manosque,74,1,76013,850004.htm

CAMPOS DE LAVANDA E DE GIRASSOL

Na volta passamos nos campos de lavanda e de girassol da região de Manosque. Na minha opinião foi o ponto alto da viagem. Os campos estavam repletos de flores e como eu não tinha conseguido ver dessa maneira no ano passado, foi muito prazeroso. Vale super a pena tentar ir exatamente nesse período, de 15 de julho a 5 de agosto, assim você vai se deparar com esse visual certamente. Que lindo!!! Confira as fotos…

Campos para ver lavanda:

• Puimoisson   • Manosque

• Roumoules   • Valensole

DSC_9003
Fiz um buquet de lavanda
DSC_9000
Eu, as lavandar e milhares de abelhas haha
DSC_9028
A imagem dos meus sonhos!
DSC_9033
Lindooooo
DSC_9030
Esse tinha minha altura e veja a lavanda no fundo!
DSC_9074
Tinha girassol da minha altura!

LA BASTIDE MOUSTIERS

Desde o ano passado já tínhamos vontade de conhecer o La Bastide Moustiers, famoso restaurante do Chef Alain Ducassé , com 1 estrela no Guia Michelin. E como nesse ano eu e meu marido comemoramos 17 anos de casados, nos demos de presente uma almoço lá. A minha escolha de entrada foi um risoto de cevadinha com abobrinhas (com suas folhas e flores), tartufo bianco e várias ervas para temperar. O prato principal foi um vitelo acompanhado de salada de folhas verdes, rúcula e espinafre, cogumelos, tartufo branco e uma farofinha dos deuses. Meu Deus que delícia hummmm. Carne no ponto, salada super fresca. Tivemos a oportunidade de conhecer pessoalmente e conversar um pouco com a Elisa Walla, vencedora do primeiro Master Chef Brasil, que atua na cozinha do La Bastide e me contou, que minha carne foi executada por ela. Hummm estava mara!!! A sobremesa foi albicoca (damasco) com sorbet e doce de leite. Ah sem me esquecer que de couver eles servem um pão maravilhoso, que chega quentinho na mesa, um ceviche delícia também. Tudo feito com ingredientes provençais, simples e sofisticado ao mesmo tempo. Vale super a e estrela * 😉 http://www.bastide-moustiers.com/A-CUISINE

IMG_9008
Entrada

 

IMG_8781
Prato Principal
IMG_8782
Sobremesa

A convite de Elisa (muito querida) visitamos a horta do hotel, de onde são colhidos os legumes, verduras e ervas usadas nos pratos. O restaurante é lindo, com uma vista mais linda ainda. Quem sabe um dia eu posso me hospedar no hotel Le Bastide Moustiers que fica na cidade Moustier-Sainte-Marie (uma das mais lindas de Provence) onde fica o restaurante 😉 Enfim uma experiência que se deve fazer pelo menos 1X na vida sabe hahaha.

GORGES DU VERDON

E para finalizar nossa viagem tão esperada fomos descansar em Gorges du Verdon. Um passeio muito legal pra fazer quando estiver na região do Verdon, é a rota panorâmica “Route dês Crêtes”, que consiste em um circuito de 24Km com 13 mirantes. Nós não tivemos tempo de fazê-la pois já era tarde e tinhamos que voltar para Milão. Porém se você tiver um tempinho a mais, eu recomendo, li muito a respeito dessa rota e a vista é maravilhosa! ♥

DSC_9208
Quem consegue ver o rapaz pulando das pedras!
DSC_9210
Cannion du Verdon
DSC_9213
Franceses aproveitando o verão de barco, pedalinho, stand-up! O que vale é se divertir!

Bom gente, esse foi nosso roteiro pela Provence. Sem dúvida alguma que fiquei com vontade de ficar mais uns 3 dias pelo menos, afinal eu amo a região, e tem muito que explorar, e tenho certeza que você também vai amar: cada cidade, cada ruela, cada campo de lavanda (cada abelhinha do campo também hahaha), o cheiro da Provence, as cores… Ai ai estou encantada mesmo ♥♥♥

Grande abraço e até a próxima,

Thati

@thatiredrado 

 

Viagens

Firenze em 2 dias e meio

Chegamos em Florença por volta do 12h. Como viemos de trem, direto de Milão, pegamos um ônibus próximo à estacão de trem Firenze Rifredi em direção ao centro da cidade, onde ficamos hospedados, no Hotel Liana, que super indico pela ótima localização (bem pertinho da Galeria onde fica o Davi de Michelangelo) e também um café da manhã maravilhoso.

Firenze (esse é o nome da cidade em italiano) é bem pequena e super tranquilo de fazer tudo a pé, portanto vir de trem é uma melhor opção, a não ser que você queira aproveitar e conhecer a região da Toscana, aí sim nesse caso é indispensável um carro.

Fizemos o checkin e já fomos passear. Nossa primeira visita foi ao Mercado Central São Lorenzo. Estávamos com muita fome e a gente queria mesmo era comer um panino (famosos sanduíches italianos e muito maravilhosos diga-se de passagem) no famoso Restaurante NERBONE, mas como a fila estava imeeeensa resolvemos almoçar na Praça de Alimentação que se assemelha muito ao nosso Mercadão Municipal de Sao Paulo. A praça fica no andar de cima e lá você encontra diversas opções de comidas e lanches, tudo típico fiorentino e inclusive um Eataly. Confie nos seus sentidos e faça uma aposta do que comer, tenho certeza que não irá falhar.

Na volta passeamos pelo centrinho de Firenze e fizemos uma pausa para um café numa das 10 cafeterias mais cotadas da cidade, a PASZKOWSKI. Super recomendo.

Fizemos o caminho de volta pela Ponte Vecchio, que foi construída no Seculo XII e foi uma das pontes que, a pedido de Hitler, não foi destruída, pois apesar de todo mal que ele fez aos judeus, era um grande apreciador de artes, e dizem que ele ficou encantado pela ponte. A Ponte Vecchio é muita famosa pelas joalherias que estão por toda a rua, alegrando, principalmente, os turistas vindos do Oriente. É realmente de encher os olhos a beleza dessa ponte. Um conselho meu é andar em direção a Ponte Trinità, de preferência no finalzinho da tarde, pra fazer uma foto da Ponte Vecchio. Ótimo angulo.

 

1 DIA –

IGREJA ORSONMICHELE

Começamos o dia com ida a Igreja Orsanmichele, onde encontramos uma bilheteria pra comprar a maioria dos bilhetes para entrar nas principais atracões turísticas , com exceção de Galeria da Academia (Davi), o qual estava esgotado (tivemos que encarar a fila, mas conseguimos. Gente, como resolvemos fazer a viagem meio que encima da hora (já que moramos em Milão e fica mais fácil pra nós resolver passear assim), recomendo muuuuito que vocês comprem as entradas com antecipação, assim não correm risco de perder uma oportunidade como essas, tipo de ver o Davi de Michelangelo, ou também, pra não encararem grandes filas. Aqui vai uma dica de site para comprar seus ingressos: http://www.ticketsflorence.com

Bom voltando à Igreja… Uma das poucas atracões gratuitas da cidade, impressiona pelo altar gótico que se distingue pelos detalhes da estrutura e os ricos mosaicos que o enfeitam, dando morada a um quadro que representa a Madonna Della Grazie.

 

SANTA MARIA NOVELLA

Igreja maravilhosa no seu interior, e por fora também! Com numerosos afrescos e esculturas, está situada no centro histórico da cidade. Assim que entramos já ficamos muito impressionados com o pé direito altíssimo e nele pendurado um grande crucifixo  realizado por Giotto. Outra grande curiosidade são os afrescos e as capelas que traduzem o renascentismo. O bilhete também dá direito a entrada no museu da Igreja, Claustro Verde, que foi construído entre 1330 e 1350 com afrescos que mostram o Antigo Testamento.

 

IGREJA SANTA CROCE

Famosa por abrigar os túmulos de Michelangelo e Galileu (dentre outros), também impressiona pelos afrescos de Giotto na Capela de Bardi e de Peruzzi, onde mostra cenas de São Francisco e São Giovanni Evangelista.

 

PALAZZO PITTI

O Palazzo Pitti é o maior palácio da cidade com mais de 200m de comprimento. Todas as salas são preenchidas do chão ao teto com quadros, e o teto é decorado com afrescos dourados e inúmeras pinturas e obras de artes de artistas famosos como Caravaggio, Tiziano, entre outros…

 

JARDIM DE BOBOLI

Este é o jardim do Palazzo Pitti com mais de 45 mil m2 de área. Gente, um verdadeiro sonho… muito lindo mesmo. Por mim eu passava o resto do dia nesse jardim… Foi projetado por Triboli e Giulio e Afonso Parigi entre 1550 e 1620. Um verdadeiro jardim a italiana, com plantas sempre verdes e dezenas de estátuas.

Vale muito a pena perder (ganhar) umas 2h passeando por esse jardim, que é lindo e muito bem cuidado, de onde você também tem uma vista panorâmica incrível da cidade.

DICA: Não deixe de visitar a Gruta. Nós perdemos , pois olhando pelo Google Maps (que foi nosso caso), pensamos que a entrada fosse pelo lado de fora e aí não pudemos mais entrar. Mas enfim, valeu super conhecer esse jardim.

Nosso ingresso dava direito a visitar o Jardim de Boboli, o museu de Prata, Museu de Porcelana e Museu de Costume, o que para mim foi muito interessante também, pois mostra uma evolucado de toda a historia da moda dessa época.

 

Depois de um dia cheio e respirando muuuita arte, pois além de termos visto muita arte, nos museus e igrejas, Firenze é um museu a céu aberto gente… fomos jantar a “vera” Bisteca Fiorentina, prato típico toscano e super recomendo o restaurante Grotta Guelfa, que é bem pequeninho e vive cheio de pessoas. Aconselho reservar.

Voltando para o nosso hotel, após o jantar, passamos em frente ao Duomo de Firenze, também conhecido como Catedral de Santa Maria del Fiore, que aquela hora, por volta de 23h ainda estava aberta, em vigília, já que fomos no período de Pascoa. Foi para nós uma grande oportunidade de conhecermos a Igreja sem fila alguma. A igreja que é linda por dentro (não tanto quanto e por fora), é considerada um ícone da cidade e um dos símbolos da arquitetura renascentista. O conjunto arquitetônico da catedral, localizada na Piazza del Duomo, inclui a Catedral de Santa Maria del Fiore, o Batistério de San Giovanni e o Campanário de Giotto.

A Basílica e uma das maiores igrejas do mundo e sua cúpula (construída de tijolos) foi a maior do mundo até a construção da Basílica de São Pedro, no Vaticano.

 

2 DIA

DAVI DE MICHELANGELO (Galeria della Academia)

Como não conseguimos comprar ingressos para ver o Davi de Michelangelo, nem pela internet e nem nas bilheterias espalhadas pela cidade, fomos para a fila e encaramos 40 minutos aproximadamente em frente a Galeria, para ver a grande obra. E deu Certo!!!

O museu é pequeno e você vai precisar de mais ou menos 1h para conhecê-lo. A obra DAVI é o que realmente impressiona na Galeria, e é considerada pelos críticos de arte o ideal perfeito de beleza masculina.

Então gente, essa é uma das atrações turísticas mais visitadas da cidade, é de verdade incrível, portanto, como eu disse anteriormente, vale muito a pena se programar e reservar seu ingresso antecipadamente. Obs: muitos dizem que não pode fazer foto… porém no dia que visitamos todos estavam fazendo! Não tivemos problema algum!

 

GALERIA UFFIZZI

Conhecida como o museu mais famoso da cidade de Firenze, a Galeria Uffizzi foi concluída em 1580. Grandes obras, tais como: A primavera de Boticelli, A adoração dos magos de Leonardo da Vinci, Tondo Doni de Michelangelo, entre outros, divididos em aproximadamente 50 salas existentes no museu.

Após isso voltamos para o hotel buscar nossas malas e fomos para a estação pegar o trem para voltar à nossa linda Milão.

Bom gente, curtiram?! Espero que vocês tenham gostado desse guia prático com bastante foto (ah sempre postarei muitas fotos pois e uma das minhas paixões :)) de 2 dias e meio em Firenze.

Aguarde os próximos posts,

Se quiserem alguma outra informação ou simplesmente dicas, escreva pra mim, adorarei ajudar.

               Abraços, Thati.

@thatiredrado